01 de fevereiro 2018

A madeira e o design brasileiro de móveis

A madeira sempre foi matéria-prima fundamental para o desenvolvimento de móveis no Brasil. A predileção por esse material foi motivada pela diversidade de espécies encontradas em nossas terras, além da herança que o patrimônio artesanal lusitano deixou, como um legado de maestria na marcenaria.

Chegando próximo do momento atual, podemos considerar também a interrupção das importações durante o período de guerras e a relação dos móveis com a arquitetura, como fatores que impulsionaram o desenvolvimento da indústria brasileira de móveis. Saiba mais sobre a madeira!

A história da madeira no Brasil

Como em qualquer outro processo de aprendizagem, o inicio da indústria nacional de móveis foi através da cópia de um modelo já existente, no caso, o europeu. A única mudança foi a utilização de madeira nativa. Logo em 1890 foi aberta no Rio de Janeiro a Companhia de Móveis Curvados, que tinha como finalidade produzir em larga escala móveis do estilo austríaco Thonet. A madeira principal utilizada era o huranhém macho.

Nessa época, além dos primeiros esboços das indústria local, já havia uma grande quantidade de marcenarias e fabriquetas que produziam móveis de diversos estilos. Vale destacar os Liceus de Artes e Ofícios que, além de produzir móveis, também formavam artesãos qualificados. Porém, no final do século, a evolução do processo fabril acabou por prejudicar a produção artesanal, que aos poucos foi desaparecendo.

Entretanto, a grandiosidade do conhecimento que foi gerado por 400 anos de história, juntamente com a diversidade da flora brasileira promovem o ressurgimento da produção de móveis de madeira no século XX, através de grandes nomes como Joaquim Tenreiro (1906-1992), José Zanine Caldas (1919-2001) e Sergio Rodrigues (1927-2014).

Grandes nomes do design brasileiro de móveis

Dentre os mestres destacados acima podemos utilizar Sergio Rodrigues como exemplo de arquiteto que tinha os móveis como extensão e parte integrante de seus projetos. Em um segundo momento, depois do reconhecimento do seu trabalho, foi convidado por Oscar Niemeyer para projetar móveis que viriam a ser utilizados no revolucionário conjunto arquitetônico de Brasília.

Essa geração de mestres influenciou todos os novos designers, que mesmo tendo acesso a diversos materiais modernos, continuam apostando nos móveis de Madeira. Dentre eles podemos destacar o trabalho de Gustavo Bittencourt, Jader Almeida e Zanini de Zanine como representantes dessa nova geração dos móveis de madeira, cada um com uma especificidade.

O legado da madeira brasileira deve ser perpetuado ainda por muitas gerações, possibilitando diversas pessoas a terem acesso a um design belo, útil, durável e que ainda remete às nossas raízes mais genuínas.

O novo design possui um novo olhar para esses materiais e técnicas da nossa história, criando peças que tenham algo para contar, ao mesmo tempo em que une o produto às novas necessidades do mercado.

Escrito por João Elias
Economista de formação, encontrou no cruzamento entre Design e Arte seu caminho. Através do Espaço 670, enfrenta as aventuras do empreendedor brasileiro e tendo um contato mais profundo com os designers e artistas, principalmente mineiros.

Quer saber mais sobre materiais e design brasileiro? Siga a página do Facebook e do Instagram da Canopus e não perca nenhuma novidade de arquitetura e lifestyle.